Born in a Fascist Country

 

I was born in a European country with a fascist tradition. Fascists, if you don’t know it, are ridiculous people just because they can’t see how dumb they are.

 

In fact, I was born in a fascist country and I can still remember the caution, risks and fears…

 

Childhood and teens was all about caution, after my parents decided to stay away from politics and survive. During university I took risks and tasted what fear is.

 

I thought that was all in the past, but then this country of mine never stops to amaze me. It is a real beautiful country. Only a little of wisdom and hardwork and it would be a paradise to live.

 

Fascist mentality is a sickness firmly rooted up there. A couple of years ago I witnessed the enthusiastic surge leading to a socialist government. I openly told close ones about the mistake committed. Today, the same who vote socialist are striking on the streets for a better life.

 

“I feel fear…” someone told me when I was there in January. I thought it could be a little exaggerated, but this week I learned about two fascists measures approved in this country of mine. One of them concerns the ban of tongue piercing. The more I find it an awful thing to do, why forbid it? Is it going to change a thing? I doubt. The only way of changing people is through education and better standards of living.

 

The second measure left me particularly irritated. From now on there are seven specific dogs not allowed to own or breed, including American Pit Bulls, Rottweilers and Staffordshire Bull Terriers, along with other four. Only that measure makes me feel a little proscribed from my own country, as I’ve owned Staffies since forever and I don’t plan to change my mind or choose between country and dogs. Staffies are loving and faithful dogs.

 

Instead of going for extreme measures, why not simply require a special authorization to own any of those dogs? I recognize that strong energetic dogs and twisted mind people are a wrong combination. The owner should have material and psychological references to own or breed such dogs. But not…Once again, my country is keen to show how fascism and intelligence are two worlds apart.

 

P.S.: Why doesn’t EU requires IQ tests for the appointed governments?

………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………..

Eu nasci num país com tradição fascista. Os fascistas, se não sabe disso, são pessoas ridículas porque não conseguem ver como são apalermados.

 

De facto, eu nasci num país fascista e ainda me consigo lembrar da cautela, riscos e medo…

 

Na minha infância e adolescência andava tudo à volta de cautela, depois dos meus pais terem decidido manter-se afastados da política e sobreviver. Durante a universidade eu corri riscos e provei o sabor do medo.

 

Pensei que isso fizesse parte do passado, mas este meu país não pára de me surpreender. É um país muito bonito. Bastava um pouco de sabedoria e trabalho duro, e podia ser um paraíso para viver.

 

A menstalidade fascista é uma doença com raizes profundas por lá. Há alguns anos atrás eu testemunhei a corrente de entusiasmo que levou à eleição de um governo socialista. Eu avisei abertamente as pessoas conhecidas sobre o erro cometido. Hoje, os mesmos que votaram socialista estão nas ruas a reclamar por melhores condições de vida.

 

“Sinto medo…” disse-me alguém quando lá estive em Janeiro. Eu pensei que poderia ser um pouco de exagero, mas esta semana tive conhecimento de duas medidas fascistas aprovadas neste meu país. Uma delas diz respeito à proibição dos pircings na língua. Por mais que eu ache que isso é uma coisa horrível de fazer, por que motivo proibir? Será que vai mudar alguma coisa? A única forma de mudar as pessoas é por meio de educação e de melhores condições de vida.

 

A segunda medida deixou-me particularmente irritada. A partir de agora há sete raças específicas de cães que não são permitidas de ter ou criar, incluindo os Pit Bull Americanos, Rottweilers e Staffordshire Bull Terriers, para além de quatro outras raças. Uma medida destas faz-me sentir proscrita do meu próprio país, uma vez que eu possuo Staffies desde sempre e não tenciono mudar de ideias ou ter de escolher entre país e cães. Os Staffies são cáes meigos e fiéis.

 

Em vez de tomar medidas radicais, por que não exigir simplesmente uma autorização especial para possuir qualquer destes cães? Eu reconheço que cães possantes e pessoas de mentalidade doentia são uma combinação errada. O dono deve ter condições materiais e psicológicas para possuir ou criar estes cães. Mas não…

 

Uma vez mais, o meu país empenhou-se em mostrar como fascismo e inteligência são dois mundos diametralmente diferentes.

 

P.S.: Por que é que a UE não exige testes de CI para os governos designados?

Advertisements

2 thoughts on “Born in a Fascist Country

  1. Estou plenamente de acordo com o que escreveste. Acho que estes socialistas estão a passar dos limites. Mas o mais grave é que uma boa parte da população concorda. Ontem, no programa “Eixo do Mal”, este foi um dos temas que abordaram. Também eles acham que isto é ridículo.

  2. Concordam com a proibição dos cães? É porque as pessoas estão mal informadas e ficam com medo. Espero que alguém no governo veja esse ridículo e mude decisões desse tipo. Thanks. Seabell

Comments are closed.